Dr. Recomenda foi reconhecida como empresa inovadora no ecossistema de Saúde do Brasil no Growth Innovation and Leadership- GIL Brazil 2016 pela Frost & Sullivan

Quem está avançando na Transformação Digital da Saúde no Brasil?

Por Regina Diniz*

O Dr. Recomenda participou da quinta edição do evento GIL Brasil- Growth, Innovation and Leadership- Crescimento, Inovação e Liderança (GIL Brasil 2016) que  aconteceu em 12 de maio no Hotel Unique em São Paulo. O evento faz parte de uma iniciativa Frost&Sullivan que acontece anualmente em mais de 20 países.

 

FS-logo-300x54

 

A Frost&Sullivan é uma das maiores empresas internacionais de consultoria e inteligência de mercado, atuando há mais de 40 anos na identificação de tecnologias emergentes e monitoramento de tendências, e análises dos fatores econômicos e demográficos locais, oferecendo assim, uma visão completa do panorama global.

Greg Caressi, Senior Vice President, Transformational Health da Frost&Sullivan , abriu o Think Tank de Saúde e ressaltou o tamanho dos desafios do setor, com destaque para os altos gastos com Saúde no mundo, estimados em 8 trilhões de dólares por ano, em grande parte ligados a doenças crônicas, sobretudo as cardiometabólicas

Ressaltou a importância da Medicina Preventiva e do uso da tecnologia como forma de viabilizar a escalabilidade do acesso à Saúde, levando os melhores conhecimentos da Medicina Baseada em Evidência para a população.

Greg ressaltou que para impactar positivamente nos resultados na Saúde, existe a necessidade de migração das soluções tradicionais de grandes empresas de TI aplicadas à saúde, para novas soluções de Heath IT as a Service, com flexibilidade e rapidez na implementação, com visão holística do paciente e com geração de Analytics em tempo real, captando dados consolidados de várias fontes e transformando-os em conhecimento valioso.

O mercado brasileiro ainda é muito carente de soluções centradas no paciente. A adoção de registros médicos eletrônicos em Hospitais no Brasil, por exemplo, é bastante significativa, mas existe ainda uma grande deficiência na interoperabilidade das informações e na conexão com o ator principal, o paciente.

Agentes inovadores locais são importantes para alavancar a transformação Digital em países emergentes. Os gigantes internacionais estão buscando parcerias para vencer os desafios do setor de Saúde.

GE e Apple foram citadas como as principais grandes empresas que estão construindo o ecossistema de Transformação Digital da Saúde. O Doutor Recomenda foi reconhecido como exemplo de empresa local transformadora, com destaque para a estratégia centrada no paciente e inovação no modelo de negócios, conectando vários players do mercado de Saúde.

Quanto ao assunto modelo de negócio em Saúde, Greg destacou também que a crise de certa forma força os principais stakeholders de saúde a buscarem soluções mais criativas e adotarem estratégias de colaboração e coparticipação no pagamento de serviços.

 

gil

A seção de Think Tank de Saúde contou com importantes representantes de vários stakeholders do setor.

Destacamos alguns insights de cada participante.

Henning Von Koss, COO, Hapvida falou sobre a estratégia de verticalização adotada pela empresa, onde pagador e provedor estão sob o “mesmo teto”, o que acelera a implementação de mudanças com foco na melhor gestão de recursos.

Como maior plano de saúde da região Norte/nordeste do Brasil, a Hapvida foca em ofertar acesso a serviços de saúde, sobretudo para classe C e acredita no uso da tecnologia para garantir a entrega de educação em saúde para médicos e pacientes com qualidade homogênea e atualizada.

Dra Ana Elisa Siqueira, CEO do Grupo Santa Celina, exibiu seu case de redução do avanço de sinistralidade em plano de saúde com carteira com alta prevalência de idosos. A estratégia adotada envolvia suporte pré e pós hospitalar com equipe multidisciplinar atuando em visitas domiciliares e ligações telefônicas, com foco no gerenciamento correto do uso dos recursos do plano. A adesão dos pacientes ao serviço foi de cerca de 90% e houve um importante impacto na sinistralidade. Para implementar o programa, foi necessário uma mudança de mentalidade de gestores e médicos. Dra. Ana acredita que é importante que o sistema de saúde avance na mudança do modelo de fee for service, para modelos baseados em geração de valor e resultados.

Fabio Scopeta, LATAM Leader,  IBM Watson Health falou sobre o papel da Inteligência Artificial (IA) na saúde. O conhecimento médico mundial dobra a cada 73 dias. É muito difícil processar todo informação gerada. Tanto médicos como pacientes podem ter acesso rapidamente, através da IA, ao conhecimento atualizado, fidedigno e personalizado. “Ao invés de ensinar TI para os médicos, ensinamos algoritmos médicos para as máquinas”.

Esteban Rossi, Latam CEO , Becton Dickinson reconhece que ainda existem muitos conflitos entre provedores e pagadores na Saúde e neste cenário quem acaba mais prejudicado é o paciente.

Dentro deste contexto, Rita Ragazzi, Research Manager Transformational Health, LATAM, da Frost&Sullivan e moderadora do painel destacou que alguns provedores de saúde, como grandes redes Hospitalares já têm uma nova visão e focam em soluções que geram redução do tempo de internação, pois entendem que esta estratégia potencializa o uso dos recursos e expande suas oportunidades de negócio.

João Paulo Poiares Baptista, Presidente do  BBI Financial, fundo de investimento na área de Saúde, destacou os pontos que valoriza como investidor:

  • Escalabilidade
  • Novos modelos de prestação de serviço,
  • Novas tecnologias que aumentem a eficiência do sistema

João Paulo comentou que existem muitas oportunidades de atuação para o empreendedor na área de Saúde no Brasil, à medida que os problemas crescem com a gestão inadequada dos recursos e com o envelhecimento da população.

Para finalizar, concluímos com uma frase adaptada e inspirada na apresentação de Greg Caressi, VP, Tranformational Health da Frost&Sullivan:

Ao invés de reforçar os problemas, a ineficiência do sistema, a falta de consolidação de dados, a alta carga tributária, a falta de gestão, etc, que tal começar a agir e fazer algo diferente?

Por que não?

___________________________________________________________

*Dra. Regina Diniz é Diretora Médica do Doutor Recomenda, empresa do CIETEC- Centro de Inovação , Empreendedorismo e Tecnologia da Universidade de São Paulo, e integrante do Primeiro Programa de Economia Criativa da Samsung no Brasil.

 

 

 

 

 

 

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *