Dormir bem pode evitar Obesidade e Diabetes

sono

(Por Dra Suzana Vieira, Endocrinologista e Doutora em Ciências pela USP)

 

Há alguns anos tem se observado na literatura científica o interesse pela importância de ter um bom sono para saúde.

Cada pessoa tem um cronotipo, isto é, períodos específicos do dia que se sentem mais alertas para o trabalho. De acordo com os cronotipos, os indivíduos podem ser: divididos em matutinos, intermediários e vespertinos.

Os indivíduos matutinos apresentam preferência por acordar nas primeiras horas da manhã e encontram dificuldades em manterem-se acordados além do seu horário habitual de dormir.

Os indivíduos vespertinos, por outro lado, preferem as horas tardias de ir para cama e acordar especialmente nos finais de semana, apresentam menor tempo de sono durante a semana (devido a compromissos diários) e maior tempo de sono durante os fins de semana (quando compensam o sono semanal perdido).

Recentemente o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos publicou que um terço da população americana não dormem bem.

Na área da endocrinologia, diversos estudos indicam que os indivíduos que dormem menos têm uma maior possibilidade de se tornarem obesos, por conta de um desbalanço nos hormônios que promovem saciedade (leptina) e que aumentam a fome (grelina).

O jet lag social, que traduz a discrepância entre ritmo circadiano próprio e tempo para o sono imposto por obrigações sociais levam a piora nos níveis de colesterol, aumento da insulina de jejum, aumento do peso e circunferência de cintura e maior resistência à insulina.

A luz noturna é uma outra vilã para o sono. A luz artificial o brilho azul da tela da televisão, a luz das ruas que passam através da janela, sem se falar da luz emitida pelos computadores, e aparelhos eletrônicos móveis têm sido implicados em aumento da obesidade e diabetes por alterar o ciclo circadiano.

Vale a pena então compensar o sono nos fins de semana?

Um estudo publicado na revista Clinical Endocrinology avaliou o efeito do sono compensado nos fins de semana. Os indivíduos que disseram não ter tempo de sono suficiente de segunda a sexta-feira e que compensam dormindo mais nos fins de semana. Os pesquisadores observaram que os participantes que não tinham tempo de sono suficiente durante a semana foram capazes de melhorar sua sensibilidade à insulina quando compensavam o sono por três noites (simulando um fim de semana). A compensação do sono nos fins de semana, entretanto, não devem substituir o esforço de dormir bem também nos dias da semana.

Algumas recomendações:

– Profissionais de saúde devem rotineiramente perguntar sobre o padrão de sono dos pacientes e discutirem problemas de ronco e excesso de sonolência diurna, além de educar sobre a importância do sono para saúde;

-Os indivíduos devem priorizar terem quantidade de sono suficiente e praticar hábitos de sono saudáveis;

-Os indivíduos devem considerar minimizar a luz noturna, retirarando televisores e computadores dos quartos e usar cortinas tipo “blackout”.

Por fim, pos indivíduos devem considerar o sono como uma prioridade, como é feito para uma boa dieta e atividade física para se manterem saudáveis.

Por Dra. Suzana Vieira, Endocrinologista de Doutora em Ciências pela USP

Referências:

http://blog.sbnec.org.br/2011/03/cronotipos-cronobiologia/
http://www.cdc.gov/me…/releases/2016/p0215-enough-sleep.html
http://www.scielo.br/scielo.php
http://press.endocrine.org/doi/full/10.1210/jc.2015-2923
http://press.endocrine.org/doi/pdf/10.1210/er.2013-1051
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25683266

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *